Como Registrar uma Marca no Cartório? Ou no INPI? - Marcas/Patentes
0800 580 0363 (31) 3292-7257 (31) 9.9357-1951
Como Registrar uma Marca no Cartório

Como Registrar uma Marca no Cartório? Ou no INPI?

Como Registrar uma Marca no Cartório? O registro de marca, vez ou outra, pode ter seu local correto de efetuação confundido. O órgão legal de registro de marca é o INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), que é uma autarquia federal legal para registro de marca no país.

O processo de registro é uma submissão legal com o objetivo de posse de exclusividade do titular frente à ideia ou a criação, em questão. No artigo de hoje, vamos dissertar sobre a diferença do cartório e do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o INPI.

Qual é a função do cartório? – Como Registrar uma Marca no Cartório

O cartório tem como objetivo o registro de títulos e documentos a fim de comprovar relações jurídicas, com estatuto social e jurídico – o que é uma variável de acordo com cada especificidade de cada órgão.

O “Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas” tem como função a averbação de contratos sociais e outras funções relacionadas às empresas, sindicatos, etc. O que se difere de um cartório de registro de imóveis ou registro de títulos. Sendo assim, cada cartório possui um diferencial no que tange a sua segmentação jurídica.

Qual o lugar correto para registro de marca? – Como Registrar uma Marca no
Cartório

O INPI é a autarquia federal responsável pelo registro de marcas e patentes no Brasil. O processo deve ser submetido ao órgão, o qual é concedido por lei esse direito. O titular deve seguir um protocolo de registro, que pode está disponível no site do INPI, que tem como exigência base para o registro os limites territoriais brasileiros do domínio da marca, ou seja, ela tem que ser criada no Brasil.

O titular, primeiramente, deve realizar uma pesquisa com o objetivo de analise da disponibilidade de marca. Após o titular deve seguir um protocolo de registro – submetendo documentos e os débitos relacionados ao registro. O formulário de registro deve ser preenchido para que o processo seja iniciado.

O processo de registro necessita de uma consultoria especializada? – Como
Registrar uma Marca no Cartório

Recomenda-se, por se tratar de um processo administrativo com termos técnicos e jurídicos, a procura por uma empresa especialista no assunto. Uma assessoria é fundamental para o acompanhamento de todas as etapas jurídicas e para o esclarecimento dos termos técnicos solicitados pelo titular.

Como Registrar uma Marca no Cartório – Conclusão

A compreensão do processo é fundamental para que o titular entenda a importância do registro, e a metodologia por detrás dos termos técnicos. Assim, aconselha-se uma consultoria especializada no assunto.

O funcionamento das etapas no INPI é importante para que a sua marca não sofra indeferimento, ou retardamento no andamento do processo de registro. A Lancaster é uma empresa pioneira no segmento, com 60 anos de experiência, e possui funcionários qualificados para melhor lhe atender.

Confira o nosso site para maiores informações sobre registro de marca e patentes no INPI. Se você gostou do nosso artigo “Como Registrar uma Marca no Cartório”, vai se surpreender com as novidades sobre registro de marcas e patentes em nosso blog.

Artigos interessantes sobre o registro de Marcas e Patentes:

Quanto custa registrar uma marca ?
Quanto tempo leva para registrar uma marca ?
Como patentear uma ideia ?

 

Por que e como registrar uma marca

Para entendermos melhor a importância do registro de marca é interessante realizar um breve exercício. Imagine que um amigo te chamou para uma festa e você aceita o convite.

Chegando no local da festa você percebe que não conhece ninguém e precisa se apresentar par todas as pessoas no local. Naturalmente sua primeira reação é se aproximar do indivíduo e se apresentar dizendo seu nome.

O nome é uma forma de se identificar em um local, se apresentando e determinando qual o seu papel naquele ambiente.

Essa noção nos permite uma aproximação com o trabalho de Erving Goffman, um sociólogo estadunidense que tem como sua principal corrente de pensamento a ideia de que as pessoas estão permanentemente em um palco de teatro, interpretando diferentes papéis de acordo com a situação apresentada.

Goffman se debruça sobre as noções de identidade e, nesse contexto, é inevitável não pensar no conceito de um nome. O nome é a identidade principal e essencial de uma pessoa. Alguém só é identificável se possuir uma palavra que o determine e lhe classifique dentro de um contexto.

Essa noção vai muito além da ideia de nome em si, sendo plausível para qualquer substantivo existente. Só é possível realizar uma comunicação eficiente se os elementos possuírem um nome e os participantes do diálogo compreenderem o mesmo significado a partir do vocábulo expressado.

A partir desse raciocínio é possível entender a importância de uma marca registrada para uma organização. É só a partir de uma marca que uma empresa consegue se destacar em seu segmento e ser reconhecida pelo mercado.

Tipos de marca – Como Registrar uma Marca

O registro de marca é um processo que garante que uma pessoa ou organização detenha os direitos de reprodução e utilização da marca de forma legal e protegida juridicamente.

Uma marca só é registrada com validade em todo o território nacional se ela for catalogada no INPI, Instituto Nacional da Propriedade Industrial, órgão responsável pelo registro de marcas e patentes no Brasil.

O INPI avalia se o pedido de registro de marca é significativamente original e
determina se ele será aceito ou não.

É importante conhecer bem os tipos de marcas existentes antes de realizar a solicitação de registro de marca. As marcas são divididas entre marca nominativa, marca figurativa, marca mista e marca tridimensional. Entenda melhor cada um dos tipos:

Marca Nominativa – Como registrar uma marca

A marca nominativa tem um nome bastante autoexplicativo, uma vez que se trata de uma marca que apenas apresenta um nome, contendo caracteres presentes no alfabeto ocidental.

Marca Figurativa – Como registrar uma marca

A marca figurativa é composta por elementos que exacerbam o alfabeto ocidental podendo ser representada por caracteres de outros alfabetos além de imagens, ideogramas e desenhos.

Marcas Mista – Como Registrar uma Marca

A marca mista é composta pela união de imagens e palavras, como o próprio
título já indica.

Marca Tridimensional – Como registrar uma marca

A marca tridimensional é representada por uma figura em três dimensões com
características própriase marcantes, como garrafas de refrigerante, por exemplo.

Passo a passo de Como Registrar uma Marca

O processo de registro de marca está longe de ser rápido e prático, mas
conhecendo bem os procedimentos ele pode se tornar bem mais tranquilo.

Acompanhe o passo a passo de como registrar uma marca:

O primeiro passo para se registrar uma marca é obviamente escolher um nome para ela e então pesquisar se ele é original. A marca precisa ser única, sem similaridades significativas com marcas já registradas. Por isso a pesquisa de anterioridade é muito importante para garantir a autenticidade da marca a ser registrada. O INPI disponibiliza um mecanismo de pesquisa em seu site onde é possível checar as marcas já registradas. Empresas e organizações podem atuar em uma série de finalidades e por isso é importante que a marca seja registrada nos segmentos corretos para garantir a segurança de seu uso. O segundo passo no processo de registro de marcas é justamente enquadrar a marca nos segmentos corretos, protegendo-a dentro de seu ramo de atuação. Após as duas primeiras etapas finalmente chega a hora de entrar com o pedido de registro de marca formalmente junto ao INPI.O pedido será enviado ao órgão responsável e será necessário o pagamento de uma taxa federal para que o trâmite se inicie.

Efetuado o pedido e paga a taxa federal o pedido é publicado pelo INPI e passa por um período de 60 dias no qual titulares de outras marcas registradas podem entrar com um processo de contestação do pedido se entenderem que existe alguma similaridade significativa. Se alguma oposição acontecer o requerente deve se defender juridicamente para a continuação do processo. Passado o período aberto a oposições e o processo tendo ocorrido de maneira natural o pedido ainda passa por uma série de avaliações por parte do INPI. Por fim, o órgão decide se o pedido será aprovado ou não. Em caso negativo todo o processo deverá ser refeito e em caso positivo uma nova taxa deverá ser paga e a marca será registrada por um período renovável de dez anos.

Registro de marcas BH

A Lancaster Marcas & Patentes é a escolha mais adequada para registro de marcas em Belo Horizonte e em todo o país. Com mais de 60 anos de atuação no ramo, a empresa é dona da confiança da marcas gigantes como Mercado Central, Vilma Alimentos, Ouro Minas, Mater Dei e Inhotim! Solicitações de registros de marcas e orçamentos dos valores dos  serviços oferecidos pela Lancaster podem ser feitos através dos meios de contato da empresa.

Por que registrar uma marca?

A marca é a marca registrada por excelência do produto ou serviço prestado por uma empresa. Realiza a função publicitária de identificar um produto, permitindo ao público consumidor individualizá-lo, distinguindo-o de outros similares, valorizando-o de acordo com sua qualidade e informando o usuário sobre sua origem. MasQue tipo de benefícios reais recebo com o seu registro? Vale a pena fazer? Como você se registra?

Posso fazer isso sozinho ou preciso do conselho de um especialista no assunto? Aqui
estão algumas respostas para essas perguntas.
Propriedade da marca – Porque Registrar uma Marca

Nosso sistema legal reconhece como o dono de uma marca que obtém o registro disso. Desta forma, obtenho a propriedade exclusiva da marca e, a partir de agora, poderei dispor dela de acordo com minhas necessidades e objetivos comerciais.
Proteção contra o uso da marca por terceiros – Porque Registrar uma Marca

O registro da marca dá ao registrante o direito de impedir que qualquer pessoa use uma marca idêntica ou confusa, protegendo assim sua clientela de fraudes e confusões.
Transferências e licenças para o uso da marca – Porque Registrar uma Marca

A propriedade da marca confere o direitopara vender para terceiros sob uma transferência do fundo de comércio ou separadamente, garantindo ao comprador a legalidade da transmissão e evitar a responsabilidade de despejo, ou seja, venda de outro ou que não são Tem um direito de propriedade. Por sua vez, a propriedade permite que o proprietário conceda a terceiros o uso da marca, licenciando-a em troca de valores econômicos, por um tempo específico.
Valor do intangível – Porque Registrar uma Marca

O valor da marca, entre outras variáveis ​​econômicas, pode ter um impacto significativo na determinação do preço de mercado e acaba por ser um fator decisivo na formação de sua clientela. O controle dos aspectos legais da marca é de grande importância, pois permite à empresa consolidar a lealdade do usuário ou consumidor através da preservação da identidade dos produtos. Duração da proteção O registro da marca registrada confere a propriedade da marca e sua proteção por um período de 10 anos, podendo ser renovada
indefinidamente, por períodos iguais. O processo de registro. Isso é feito antes que o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) tenha uma duração média de 12 a 24 meses; O solicitante do registro deverá obrigatoriamente estabelecer um domicílio especial na Capital Federal para os fins das notificações que lhe forem enviadas em decorrência do processo. A agência publicará a marca para que qualquer terceiro que se considere com direitos suficientes possa se opor ao seu registro; Uma vez expirados os prazos para tal, o INPI decidirá sobre a pertinência da concessão ou recusa do registro da marca. A assistência de um profissional. aconselhamento profissional nesta área é altamente recomendado como um profissional especialista tem ferramentas técnicas relevantes para determinar a possibilidade de registo da marca escolhida, verificando-los contra as registradas no mesmo campo de atividades, acompanhando o empregador durante o processo, interpondo os recursos administrativos necessários para que a marca seja concedida pelo organismo. O profissional será responsável pelo atendimento da marca, garantindo que marcas similares não sejam cadastradas, o que pode afastar os clientes da empresa. É aconselhável iniciar o processo de cadastro ao lançar qualquer empresa no mercado, já que o crescimento da empresa estará sempre atrelado à sua marca, e você evitará o risco de encontrar dificuldades para registrar a marca, ou estar na circunstância indesejável de ter para enfrentar demandas de terceiros pelo uso de uma marca não registrada.

Como investir no sucesso de uma marca

O branding pode ser definida como o processo de construção de uma marca. Nesse sentido, a marca pode ser considerada como um "ser vivo". A própria marca está associada a valores que são construídos de forma contínua, envolvendo diretamente o desenvolvimento da personalidade da marca.

Procura dar peso e mostrar todas as qualidades da própria marca para que o cliente possa conhecer os valores e a visão que a marca tem e que serve para se diferenciar dos outros. Diferenciação no mercado agora é de suma importância, pois envolve de forma direta a própria existência da marca, porque caso contrário, a marca não pode ser distinguido do outro e, assim, ter uma existência plana onde no final Nós não alcançamos os objetivos definidos, como estar na cabeça do nosso público. Essa identidade construída dia a dia deve ser feita de maneira consistente com os valores que temos e que queremos destacar como uma marca. Por exemplo, é inútil cantar as virtudes dos valores relacionados ao meio ambiente e não ser honesto nos processos que são seguidos para obter o produto. Como se costuma dizer, um mentiroso é perseguido diante de um coxo, por isso devemos ser transparentes com o público e manter uma relação lógica e consistente com os valores que queremos destacar. Como é sabido, a identidade da marca pode ser demonstrada de várias formas, desde o logotipo da própria marca até sua tipografia ou as próprias cores corporativas da própria marca. Desta forma, nenhuma estratégia de branding é realizada se não for bem pensada e desenvolvida para a marca.
Nesse sentido, devemos estar atentos e estar muito atentos, pois hoje os diferentes cenários que uma marca tem que ser controlada. Essa diferença nos meios de transmitir a mensagem deve ser consistente em todos os seus pontos da marca e expressar dessa maneira como queremos ser vistos. Em branding, temos que nos fazer perguntas. Por exemplo, quem somos nós? o Como o nosso público nos vê? Como queremos nos ver? e uma questão que consideramos de especial importância seria: para onde queremos ir? Ao nos fazer esse tipo de pergunta, podemos saber que tipo de estratégia devemos adotar marcando claramente todos os pontos que podemos melhorar para atingir a meta. Nós nos
definimos como uma marca. Desta forma, podemos estabelecer um caminho claro que faz as diferentes táticas que nos levarão mais perto de onde queremos ir. Neste sentido, devemos estar conscientes de quem somos e quais são as ações que mais nos colocam na linha que decidimos seguir.

O que se quer dizer com isso é que, apesar de estar no mesmo nível de uma marca reconhecida, não devemos copiar as ações que essa marca tem em seu
desenvolvimento, mas teremos que desenvolver nossas próprias de acordo com os
objetivos realistas que propomos.
Assim, veremos que esse exercício de construção da marca não se reduz apenas
a marcas grandes e conhecidas, mas é válido para todos, pois no final o que se tenta é
diferenciar das demais marcas e estar presente no horizonte de nosso público.
Porque o impacto que têm tais ações com relação a uma marca, é aconselhável a
ser guiados por especialistas na área, pois desta forma pode tomar medidas de forma
firme e segura e até mesmo imprevisto pode ser resolvida para um caminho rápido e
eficaz.
Existem diferentes agências e consultorias que se especializam nesse tipo de
estratégia, pois não significa apenas vender, mas há objetivos mais sutis por trás de
todas as ações tomadas. A marca continua a ser uma ferramenta de posicionamento
indispensável nestes dias em que o público é oprimido por tantas marcas como existem
no mercado.

Dicas para ter uma marca de sucesso

Como já foi discutido, o primeiro passo a ser feito quando se tem uma marca é
registrá-la e mais acima você encontra os detalhes de como efetuar esse processo. Mas
depois de registrada, é importante saber que existem estratégias que ajudarão a
impulsionar a marca e torna-la um sucesso, bem como sua empresa.
Há certas coisas sobre marcas que as tornam mais atraentes para nós. Os mais
raros são os de adoração, que não precisam de introdução, vendem pelo simples fato de
estarem disponíveis. Como Harley Davidson, Apple, Ferrari, Nike e muitas outras.
Embora a construção de uma marca seja uma conquista única para a maioria dos
profissionais de marketing, os principais ingredientes que se unem para criar uma marca
forte permanecem constantes. Veja algumas dicas que ajudam nesse sentido:

– Construa a personalidade da marca

A personalidade da marca e o modo como você se sente é a sua essência.
Consiste em vários elementos, incluindo o logotipo, cores, frases, mascotes das marcas,
uma aparência diferente do produto, website, design da loja, design do produto, serviço
de entrega, etc.
Quando cada um desses elementos está em perfeita sincronia, você obtém uma
personalidade distinta que torna a marca reconhecível ao longo dos anos

– Não invista apenas em qualidade

A experiência do cliente é o que torna a marca ótima. Boas marcas oferecem
qualidade, isso é um fato. O que o torna ótimo é quando eles dão um passo à frente e
surpreendem os clientes com coisas que nunca esperaram. Não se trata de prevenir suas
reclamações, é sobre criar ótimas experiências que fazem o cliente voltar para mais.

– Conheça seu mercado consumidor.

Uma grande marca sabe o que se passa na mente do consumidor. A percepção
dos clientes é o que realmente ajuda a marca a criar produtos e serviços que atendam às
suas necessidades sem que eles a solicitem. Eles reúnem dados do mesmo em tempo
real e juntam-se com o aprendizado que possuem nos mercados que operam e pronto os
dois juntos criam o marketing mágico.
A verdadeira grandeza não vem de uma equipe de fórmulas, ele vem de uma
base sólida de valores em que a marca é construída, valores que fazem uma conexão
real com seus clientes e tornar a marca de permanecer incorporado em suas mentes para
as gerações.

Como avaliar uma marca

Durante a maior parte do século XX , os ativos tangíveis foram considerados
como a principal fonte de valor para as empresas. Estes incluem ativos de fabricação,
terrenos e edifícios ou ativos financeiros, tais como contas a receber e investimentos. O
mercado estava ciente dos ativos intangíveis, mas seu valor específico permanece
incerto e não é quantificado especificamente. Ainda hoje, a avaliação da lucratividade e
do desempenho das empresas concentra-se em indicadores como o retorno do
investimento, ativos ou ativos que excluem os intangíveis do denominador.
Isso não significa que a administração não tenha reconhecido a importância dos
intangíveis. Tecnologia, patentes e funcionários sempre estiveram no centro do sucesso
dos negócios, mas as marcas raramente são explicitamente valorizadas. Seu valor foi
subsumido no valor total dos ativos. Os proprietários de grandes marcas como a The
Coca-Cola Company, Procter & Gamble, Unilever, Nestlé e várias outras estavam
cientes da importância de suas marcas, mas no mercado de ações, os investidores
concentraram sua avaliação do valor dos ativos operacionais tangível, Seus produtos
eram marcas e houve um tempo em que as marcas eram itens domésticos simples:
sabão, chá, detergente, refrigerantes, etc. As marcas eram um símbolo de consistência.
Numa era em que quase tudo o que estava à venda era adulterado e os preços flutuavam
ao longo do ano, não havia confiança nos produtos e a marca passou a significar
qualidade, quantidade e preço constante.
O crescente reconhecimento do valor dos intangíveis é incluído com o aumento
contínuo da diferença entre os valores contábeis das empresas e suas avaliações de
ações, bem como fortes aumentos nos prêmios, acima do valor do mercado de ações,
que foram pagos em fusões e aquisições que ocorreram ao longo do século XX.

A marca é um intangível especial que, em muitas empresas, é o ativo mais
importante. Isso se deve aos efeitos econômicos que as marcas têm. Eles influenciam as
decisões de clientes, funcionários, investidores e autoridades governamentais. Em um
mundo de opções abundantes, essa influência é crucial para o sucesso comercial e a
criação de valor para os acionistas. Até mesmo organizações sem fins lucrativos
começaram a abraçar a marca como um recurso fundamental para obter doações,
patrocínios e voluntários.
Hoje em dia, quase todos os países têm estipulações de padrões contábeis para
que as marcas adquiridas sejam capitalizadas no balanço patrimonial e amortizadas com
base em sua vida útil. No entanto, ativos intangíveis, como marcas que podem
reivindicar vida infinita, não precisam ser amortizados. Em vez disso, as empresas
devem realizar testes anuais de redução no valor recuperável. Se o valor for igual ou
superior à avaliação inicial, o valor dos ativos no balanço patrimonial permanece o
mesmo. Se o valor for menor do que o valor recuperável, o ativo deve ser registrado no
valor mais baixo.

O valor social das marcas

O valor econômico das marcas para seus proprietários agora é amplamente
aceito, mas seu valor social é menos claro. A onipresença das mega-marcas globais fez
de certas marcas o foco de descontentamento para muitos grupos em todo o mundo.
Eles veem uma relação direta entre marcas e questões como a exploração dos
trabalhadores nos países em desenvolvimento e a homogeneização das culturas,
estratégias monopolistas, sufocar a pouca concorrência, promovendo o monopólio e
limitando a escolha do consumidor.
Mas o fato é que as marcas já quebraram a barreira do puramente comercial,
foram instaladas como um elemento em nossas vidas, tornando-se modelos, ícones,
referências. Imagine se entre os usuários e proprietários de marcas, nos unimos em um
post futuro mais sustentável.
As empresas não podem mudar seu passado, mas precisam aprender com isso.
Hoje mais do que nunca, eles devem assumir a responsabilidade pelos problemas
urgentes que temos no planeta e comprometer-se a encontrar soluções. Mas sem perder
seu sentido econômico. Mas assumindo que hoje há novos imperativos e cada marca
deve ser sustentável a longo prazo, tanto ambiental quanto socialmente. A comunicação
está se tornando mais humana, os consumidores vão exigir empresas inspiradoras que
nos ajudem a enfrentar os problemas que enfrentamos.

Abordagens avaliativas de uma marca

Como já foi explicado, somente no final da década de 1980 foram estabelecidos
métodos de avaliação para entender e avaliar o valor específico das marcas. Mas a ideia
de colocar um valor separado para as marcas e outros ativos da empresa agora é
amplamente aceita e a avaliação da marca desempenha um papel fundamental nos
negócios. Ao contrário de outros ativos, como ações, títulos, commodities e imóveis,

não há mercado ativo em que as marcas forneçam valores comparáveis. Então, para
chegar a uma abordagem autorizada e válida, para calcular o valor da marca, modelos
de avaliação e rankings foram desenvolvidos. A maioria desses modelos e classificações
pode ser incluída em duas categorias:
– Avaliações de valor da marca baseadas em pesquisa.
– Abordagens puramente financeiras

Abordagens baseadas em pesquisa

Esses modelos são usados ​​para calcular o valor das marcas usando a pesquisa do
consumidor para avaliar o desempenho relativo das marcas. Eles não medem o valor
financeiro das marcas; em vez disso, eles medem o comportamento e as atitudes que
afetam os resultados econômicos das marcas. Ou seja, eles tentam explicar, interpretar e
medir as percepções dos consumidores que influenciam o comportamento de compra.
Entre a gama de medidas perceptivas que esses modelos usam são:
Níveis de consciência (sem a ajuda do entrevistador, com a ajuda do
entrevistador, top of minds)
– Conhecimento
– Familiaridade
– O senso de relevância
– Atributos específicos da imagem
– A consideração da compra
– A preferência
– A satisfação
– A recomendação.

Alguns modelos podem se somar à participação de mercado e ao preço relativo.
A compreensão, interpretação e medição dos indicadores de brand equity são
cruciais para avaliar o valor econômico das marcas. Afinal, essas são medidas-chave do
comportamento de compra do consumidor, e isso significa o sucesso de qualquer marca.
No entanto, a menos que sejam integrados em um modelo econômico, eles são
insuficientes para avaliar o valor econômico das marcas, ou seja, uma marca pode
aparecer fortemente de acordo com esses indicadores, mas ainda não ser capaz de criar
valor econômico e acionista.

Abordagens Financeiras

Abordagens financeiras baseadas em custos: definem o valor de uma marca
como a soma de todos os custos historicamente incorridos ou os custos de reposição
necessários para levar a marca ao seu estado atual: isto é, a soma dos custos de
desenvolvimento, custos de marketing, publicidade e outras despesas de comunicação,
etc.
Essas abordagens não costumam ser bem-sucedidas porque não há correlação
direta entre o investimento financeiro realizado e o valor agregado de uma marca. O
investimento financeiro é um componente importante na construção do valor da marca,
desde que seja feito de forma eficaz. O investimento tem que ir além da publicidade e
promoção óbvias e incluir treinamento de funcionários, embalagem, design de produto,
design de varejo e assim por diante.
Outra abordagem é calcular o valor de uma marca com base em algo
comparável. Mas comparar marcas é sempre muito complexo porque, por definição,
elas devem ser diferenciadas e, portanto, não são comparáveis. Por outro lado, a criação
de valor de marcas da mesma categoria pode ser muito diferente, mesmo se a maioria
dos aspectos subjacentes do negócio, como grupos-alvo, investimento em publicidade,
promoções de preços e canais de distribuição forem semelhantes. ou idêntico. Comparar
marcas pode fornecer uma verificação cruzada interessante, no entanto, você nunca
deve confiar exclusivamente na comparação para avaliação da marca.

Leave a comment