O que é logística reversa – Conceito e exemplos - Marcas e Patentes BH
0800 580 0363 (31) 3292-7257 (31) 9 8862 0363
O que é logística reversa

O que é logística reversa – Conceito e exemplos

O que é logística reversa: Conceito e exemplos – Se você possui uma indústria, seja ela de pequeno ou grande porte, que produz elementos que serão descartados pelo consumidor depois de um tempo, saiba que é sua a responsabilidade de descarta-lo, reutiliza-lo ou recicla-lo da maneira correta. Quando esse tipo de atividade acontece, chamamos de logística reversa!

Nesse texto iremos falar mais sobre esse termo, ressaltando qual é o seu conceito e dando exemplos de como ele pode funcionar na vida real. Além disso, você poderá encontrar motivos para que aplique essa filosofia na sua indústria!

O que é a logística reversa?

A logística reversa é, basicamente, o acontecimento onde uma indústria, a qual produz certo produto, é responsável pelo seu descarte responsável. Isso pode acontecer de várias maneiras e, no Brasil, é um dever previsto por lei.

No ano de 2010, mais precisamente no mês de Agosto, foi publicada a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Uma das definições dessa política é que ficaria acordado entre os comerciantes, os consumidores e os fabricantes, que estes seriam responsáveis pelo ciclo de vida do produto, ou seja, pelo seu impacto no ambiente, tendo que descartar da maneira correta com o objetivo de diminuir as consequências negativas.

Para alguns setores da economia, é obrigatório aplicar a logística reversa em sua política empresarial. Nesse sentido, engloba todos os níveis da fabricação até a venda do produto, ou seja, os fabricantes, os distribuidores, os transportadores e até os pequenos comerciantes.

Esses setores são: Agrotóxicos, Óleos Lubrificantes – e todos os seus resíduos –, baterias e pilhas, lâmpadas, elementos eletroeletrônicos e pneus.

Sendo assim, se você for dono de uma indústria ou mesmo de uma loja que trabalha com esses tipos de produtos, precisa, por lei, trabalhar em prol do seu descarte da maneira correta. Para isso, precisa desenvolver estratégias que envolvam o recolhimento e alguma maneira de reutilizar ou descartar esses elementos da forma correta.

No entanto, se você for dono de uma indústria de qualquer outro segmento, também precisa se preocupar com isso. Para as indústrias, essa lei serve para todas as áreas. Além de você estar em conformidade com a lei e fazer o melhor para a natureza, pode ganhar retornos financeiros, tendo em vista que a sua empresa terá uma imagem melhor com o público em geral.

Como funciona a logística reversa?

Lendo o tópico anterior é possível ter uma ideia do que é a logística reversa. No entanto, você deve estar se perguntando o porquê desse nome!

O termo logística reversa foi dado devido ao caminho que o produto faz, de volta para aos mãos do fabricante. Ao fabricar o produto, a indústria manda, através de distribuidores, para os comerciantes. Estes, por sua vez, repassam o produto para o consumidor.

Quando o produto termina a sua vida útil, é dever do consumidor leva-lo para as lojas comerciantes ou para os pontos de coleta. Estes, por sua vez, mandam os produtos de volta para a indústria, em uma logística reversa ao que usualmente acontece.

Tipos de logística reversa

Tipos de logística reversa

Existem dois tipos distintos de logística reversa, os quais se diferenciam pela necessidade do produto de voltar ao fabricante.

– Logística reversa pós-consumo:

A logística reversa pós-consumo é a que já foi falado em todo o corpo desse artigo. Nesse sentido, o consumidor adquiriu o produto, o usou e chegou o momento de descarta-lo. Dessa forma, para descartar da melhor maneira, o consumidor leva o produto aos pontos de coleta – que podem ser tanto na própria loja ou em pontos estratégicos da cidade – para que ele volte para o fabricante.

Sendo assim, a indústria tem que estar preparada para receber esses produtos e dar a eles uma finalidade que não agrida o ambiente. Existem, basicamente, três tipos de finalidades que podem ser feitas, de acordo com a condição ou com o tipo do produto:

  • Reutilização: Caso possa ser usado novamente para aquela mesma finalidade, a indústria poderá passar o produto por um processo e coloca-lo de volta no ciclo produtivo, para que ele repita os mesmos processos mais uma vez. Isso é o que acontece, por exemplo, com os cascos de cerveja de algumas marcas, como Brahma, Skol, dentre outras. Nesse caso, o consumidor leva de volta os cascos para o comerciante, que entrega para a distribuidora que, por sua vez, leva de volta para a indústria. Como as garrafas estão propícias para o uso novamente, elas são limpadas e utilizadas mais vezes.
  • Reciclagem: Caso o produto seja feito de algum material que pode gerar outro, este pode passar por um processo de reciclagem. Na grande maioria das vezes, a reciclagem é feita a partir da colocação do elemento, por parte do consumidor, nos pontos de coleta. As grandes empresas fazem parcerias com cooperativas e empresas especializadas em reciclagem, que são responsáveis por dar um outro direcionamento para o material. As garrafas pet, por exemplo, são bons exemplos de um tipo de plástico que pode ser reciclado com para várias finalidades. Há de se lembrar que a reciclagem só é caracterizada quando há mudança do material e ele for usado para outras finalidades. Em outros casos, é considerado reutilização.
  • Descarte responsável: Alguns materiais, por diversos motivos, não podem ser nem reutilizados nem reciclados. Sendo assim, também com o consumidor levando para os pontos de coleta, esse elemento é mandado de volta para a indústria, que é encarregada de arrumar uma maneira de descarta-lo de forma responsável. As pilhas e baterias são exemplos de materiais que, por conter produtos químicos em sua composição, não podem ser reutilizados nem reciclados. Dessa forma, deve-se achar uma maneira de descarta-lo de forma correta, sem que cause impactos no meio ambiente. As leis ambientes, embora nem sempre sejam executadas da maneira desejada, devem multar e punir as indústrias que não fizerem o descarte correto de seus produtos, principalmente se eles forem tóxicos para o meio ambiente, como no caso das pilhas e baterias.

Exemplos de logística reversa

Várias grandes empresas de todo o mundo tem a logística reversa como uma política implementada. Esse tipo de prática, além de evitar multas e punições, já que a companhia estará dentro da lei, poderá resultar em um retorno financeiro para essas empresas, tendo em vista que ocorrerá o fortalecimento de sua marca.

Isso acontece devido ao fato de que, se mostrando uma companhia que preocupa com os impactos no meio ambiente, o público consumidor terá um olhar positivo da empresa. Alguns exemplos práticos de logística reversa:

  • A Natura tem programas de recolhimentos de embalagens fazia. Quando chegam na empresa, há uma avaliação da embalagem, que pode ser reutilizada ou reciclada;
  • A Coca Cola voltou a implementar nas grandes cidades do Brasil, há cerca de dois anos, o sistema de garrafas retornáveis. O consumidor, para comprar o seu refrigerante, deve levar uma garrafa vazia para o comerciante. E todos ganham, tendo em vista que a produção fica mais barata para a empresa e o preço final fica bem melhor para o consumidor;
  • A Vivo e outras empresas de telefonia recebem aparelhos celulares usados, os quais são avaliados e servem de desconto na compra de um novo produto. Feito isso, mandam de volta para os fabricantes, que são responsáveis por descarta-lo da maneira correta;

Registro de Marca e a sua importância

Como falamos anteriormente, aplicar a política de logística reversa em sua empresa pode ser importante para a percepção do público consumidor. Isso fará com que a sua marca fique fortalecida no mercado, gerando retornos financeiros. No entanto, de nada adianta fortalecer a sua marca nesse sentido e deixa-la desprotegida.

A partir do processo de registro de marca é possível se proteger contra plágios e cópias totais ou parciais dos elementos que identificam a sua empresa. Ademais, tendo o seu pedido concedido, você terá a garantia de exclusividade em todo o Brasil, ou seja, nenhuma empresa com o mesmo segmento terá nome e identidade visual iguais ou semelhantes a sua!

A Lancaster Marcas & Patentes é uma empresa com mais de 60 anos de atuação, sendo uma das pioneiras nesse ramo em Minas Gerais. Ao longo de todo esse tempo, construiu uma imagem de confiança e parceria com o seu cliente! Ligue e consulte preços e condições para o registro de sua marca!

 

Leave a comment