Qual a diferença entre uma startup e uma empresa convencional? - Marcas e Patentes BH
0800 580 0363 (31) 3292-7257 (31) 9.9357-1951
Qual a diferença entre uma startup e uma empresa convencional

Qual a diferença entre uma startup e uma empresa convencional?

Qual a diferença entre uma startup e uma empresa convencional?

O desejo de abrir um negócio próprio que se torne referência naquele ramo de atuação em que se trabalha é uma realidade da grande maioria dos brasileiros atualmente. Com a atual crise financeira que o nosso país vive, ter sucesso com a sua própria empresa pode ser a saída para a escassez de boas vagas de emprego disponíveis no mercado de trabalho.

Por outro lado, sabemos que não é nada fácil, e toda a caminhada de um novo negócio tende a ser árdua e difícil, principalmente no início. Apesar disso, para todas as pessoas que possuem essa vontade e até algum planejamento em mente, é proveitoso que se saiba as diferenciações que podem existir entre um tipo de negócio e outro.

Provavelmente você, em algum momento, seja por amigos ou por uma leitura despretensiosa na internet, já ouviu falar de Startups. Contudo, é comum encontrarmos pessoas que, apesar de já terem ouvido esse termo consecutivas vezes, não conseguem achar uma definição para o que é uma startup, e o que esse tipo de organização tem que a diferencia de empresas convencionais.

Por esse motivo, nesse artigo iremos falar mais desse tipo de negócio, das empresas convencionais, com ênfase em quais são as diferenças entre esses dois. Ao fim do artigo, o leitor que estiver com projetos de abrir um negócio próprio com certeza saberá qual o melhor estilo para as suas ideias.

Tipos de empresas

Provavelmente, é de conhecimento do leitor que, inicialmente, existem quatro divisões que podem ser feitas para designar o tipo da empresa. De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), esse tipos são: Microempresa, Pequena Empresa, Média Empresa e Grande Empresa.

A fim de definir em qual grupo aquela companhia em específico está inserida, o SEBRAE leva em conta a quantidade de funcionários que trabalham diretamente para aquela empresa. Por isso, podemos considerar:

– Para o comércio / serviços:

  • Uma Microempresa possui até 9 funcionários;
  • Uma Pequena Empresa possui de 10 até 49 funcionários;
  • Uma Média Empresa possui de 50 até 99 funcionários;
  • Uma Grande Empresa possui 100 ou mais funcionários;

– Para a indústria:

  • Uma Microempresa possui até 19 funcionários;
  • Uma Pequena Empresa possui de 20 até 99 funcionários;
  • Uma Média Empresa possui de 100 até 499 funcionários;
  • Uma Grande Empresa possui 500 ou mais funcionários;

Bom, antes de tudo, é importante para o leitor que saiba que toda startup já começa como uma PME, ou seja, uma pequena ou média empresa. Desse modo, não é no número de funcionários que as startups e as empresas convencionais se diferenciam, mas sim em outros quesitos.

Dessa forma, na definição feita acima pelo SEBRAE, todas as startups são pequenas ou médias empresas, mas nem toda pequena e média empresa são startups.

Qual a diferença entre uma startup e uma empresa convencional

Agora que você já sabe sobre os conceitos básicos de uma empresa, vamos ao que interessa e falar quais são as diferenças mais notáveis que existem entre um negócio e outro, a fim de que o leitor entenda essas distinções e saiba qual estilo se encaixa melhor em suas ideias, objetivos, personalidade, visão de mundo, entre outros aspectos.

  1. Objetivos de lucro:

A principal e mais notável diferença entre as startups e as empresas convencionais está justamente no objetivo central daquele negócio. As empresas convencionais estão focadas no lucro líquido que ela vai ter, mesmo no seu início. Além disso, esse tipo de negócio deseja possuir um valor estável ao longo dos meses.

Por outro lado, as startups estão focadas apenas em uma receita para o seu próprio financiamento. Em outras palavras, esse tipo de organização espera apenas receber capital para que consiga sobreviver e investir em inovações para a empresa em si.

  1. Objetivos de crescimento:

Outra grande diferença entre uma pequena ou média empresa convencional se comparada a um startup está nos seus objetivos de crescimento.

Novamente, uma empresa tradicional não está tão focada nesse quesito, uma vez que, na grande maioria das vezes, o máximo que ela irá variar é entre o conceito de Médias e de Pequenas Empresas.

Por outro lado, uma startup tem o objetivo de, apesar de começar por baixo, com um número bastante reduzido de funcionários, crescer e se tornar, em futuro a longo prazo, uma empresa que seja referência naquele ramo de atuação. Isso se dá pelo fato de que as startups, na grande maioria das vezes, inovam e, portanto, criam novos mercados.

  1. Tipos de produtos / serviços oferecidos:

Uma outra clara diferença entre startups e pequenas e médias empresas convencionais diz respeito aos tipos de produtos – ou serviços – que são ofertados por aquele negócio. Isso se dá pelo fato de que, enquanto uma empresa convencional oferece elementos que já são existentes no mercado, sem grandes inovações ou diferenças, as startups são, necessariamente, negócios que oferecem saídas e metodologias inovadoras.

  1. Margens de risco:

As margens de riscos também podem ser caracterizadas como uma diferença que existe entre as empresas tradicionais e as startups. Isso porque, como uma startup pratica maneiras inovadoras e cria novos mercados para aquele produto que oferece, a sua margem de risco é grande, uma vez que, de maneira inicial, tudo aquilo funciona como um teste para os gestores da empresa.

Enquanto isso, as empresas convencionais não se valem desse risco, até pelo motivo de que os gestores destas esperam receber um lucro considerável logo no inicio, o que não acontece com as startups, as quais visam apenas o capital para se manter.

  1. O capital necessário para a Startup e as empresas tradicionais:

Existem duas grandes diferenças referentes ao capital necessário para manter uma startup e uma empresa tradicional. Primeiramente, isso se refere ao valor bruto desse investimento. Enquanto as empresas convencionais podem se valer de investimentos menores no início, as startups necessitam, desde o primeiro momento, de um investimento maior, uma vez que as metodologias serão inovadoras.

Além disso, existe outra diferença que se relaciona com o investimento, estando atrelado ao lugar de onde vem esse capital. Em uma pequena ou média empresa convencional, esse dinheiro vem, na grande maioria das vezes, do próprio gestor do negócio ou de seus sócios. Por outro lado, as startups necessitam de investidores externos que acreditam naquela ideia e estarão dispostos a investir. Em troca, os idealizadores geralmente abrem mão de uma parte dos lucros ou de uma parcela da gestão da empresa.

Considerações finais

Abrir um negócio próprio, apesar de ser um sonho de milhões de pessoas ao redor de todo o mundo, não é uma tarefa fácil. Isso se dá pelo fato de que investir as suas economias em algo que não se tem a certeza do retorno pode ser um risco grande a se correr.

Desse modo, é importante que o empreendedor tenha em mente a certeza do que quer e tenha capital e ideias inovadoras para isso.

Leave a comment