Psicologia das Cores em Marketing e Branding - Marcas e Patentes BH
(31) 3292-7257 (31) 3292-7257 (31) 9 8862 0363
OLa
h555 Psicologia das Cores
IT

Psicologia das Cores em Marketing e Branding

Psicologia das Cores relacionada à persuasão é um dos aspectos mais interessantes – e mais controversos – do Marketing. A maioria dos debates atuais sobre cores e persuasão, consiste em palpites e evidências anedóticas. Nesse artigo abordaremos uma seleção de pesquisas confiáveis sobre a teoria das cores e persuasão.

Por que a Psicologia das Cores, mesmo que com a ausência de dados factuais, invoca tanta conversa?

Pesquisas indicam que é provável que elementos como preferências pessoais, experiências, educação, diferenças culturais, contexto e etc., muitas vezes mudem o efeito que as cores têm sobre cada indivíduo. Então, a ideia de que cores como amarelo ou roxo são capazes de invocar algum tipo de emoção específica é tão precisa, quanto sua leitura padrão das cartas de Tarot.

A Importância das Cores nas Marcas – Psicologia das Cores

O poder da cor é muitas vezes subestimado pelos consumidores, mas os empresários passam muito tempo pensando sobre esse elemento. As cores têm o poder de influenciar as emoções e a percepção do cliente em relação a um produto ou marca. Na verdade, a cor é um dos maiores fatores que os comerciantes e os designers consideram ao criar um logotipo. A percepção da cor pode mudar com base na idade, gênero, personalidade, renda e outros fatores, o que significa que os profissionais de marketing devem entender quem é o público-alvo e como eles desejam que a marca seja percebida.

O logotipo de uma marca tem a capacidade de aumentar seu reconhecimento e influenciar decisões na hora da compra. A cor também desencadeia certas emoções nas pessoas. O vermelho estimula e abre o apetite, bem como chama atenção, por isso marcas como Coca-Cola e Budweiser a utilizam. O azul cria um senso de confiança e confiabilidade – visto em logotipos como Facebook, CitiBank e Samsung. O verde traz uma sensação de tranquilidade, crescimento e saúde, por isso pode ser visto em marcas como Land Rover, Unimed, Materdei, Excel e Heineken. O amarelo é atribuído ao otimismo, animação e calor, podendo ser visto em marcas como Best Best Buy, Snapchat e Schweppes.

De que adianta passar tanto tempo estudando a psicologia das cores para desenvolver o logotipo perfeito, e não registrar sua marca?

Quanto mais tempo você passar desenvolvendo sua marca, mais atrativa e valiosa ela será e, como consequência, mais atenção ela chamará. Sem o registro, você abre espaço para concorrentes desleais plagiarem seu trabalho, usufruindo de todo o estudo por trás da sua marca.

Você pode fazer um excelente trabalho no design do seu logotipo e desenvolver um marketing e SEO impecáveis, tudo isso terá sido em vão se você permitir que outra pessoa copie sua marca. A parte mais importante de uma marca é registro. Só quem registra é dono!

O que é a psicologia das cores ?

A psicologia das cores é um campo de estudo que visa analisar como percebemos e nos comportamos em relação a diferentes cores, bem como as emoções que esses tons despertam em nós.

Existem certos aspectos subjetivos na psicologia da cor, por isso não devemos esquecer que pode haver certas variações na interpretação e no significado entre as culturas. Apesar de tudo, há certos princípios aceitos que analisaremos neste artigo e que se aplicam fundamentalmente às sociedades ocidentais.

 

Psicologia das cores: influência nas emoções e no estado mental

Você sabia que as cores ao seu redor podem estar influenciando suas emoções e seu estado mental? Você sabia que certos tons podem irritá-lo ou, pelo contrário, relaxar e acalmá-lo? Bem, você deve saber que as cores que o rodeiam podem afetar você.

Psicologia das cores
Psicologia das cores

Esta afirmação não é nova. De fato, muitas empresas projetam seus logotipos levando em conta as cores que usam, pois dessa forma enviam uma mensagem ou outra para o consumidor. Quando uma loja é decorada, também é valorizado o uso das cores, pois é quase uma necessidade que as pessoas sintam o desejo de comprar quando estão na loja. Mas não apenas a psicologia da cor é usada para obter um benefício econômico. Na arteterapia, a cor está associada às emoções da pessoa e é uma forma de influenciar o estado físico e mental do paciente. Por exemplo, estudos mostraram que o vermelho aumenta a frequência cardíaca, que, por sua vez, causa um aumento na adrenalina e faz com que os indivíduos se sintam enérgicos e excitados.

A psicologia das cores na vida cotidiana

O fato de as cores provocarem um efeito emocional em nós não soa nada estranho. Na verdade, faz parte da nossa linguagem cotidiana. Em outras palavras, isso é comum para falar de cores quentes como vermelho, amarelo ou laranja, que podem provocam diferentes reações de positivo (quente) ou negativo (hostilidade e raiva). Ou, por outro lado, costumamos falar de cores frias, como verde ou azul, que geralmente causam uma sensação de calma, mas também tristeza.

Como todos estamos familiarizados com esses conceitos, a psicologia da cor é usada na vida cotidiana. Por exemplo, quando você pinta a sua casa e considera as cores que você quer para sua casa, porque você vai gastar muitas horas lá. Quando você faz isso, você normalmente tem em mente como as diferentes tonalidades farão você se sentir: um cinza elegante para a sala de estar? Uma cozinha verde associada à primavera e ao frescor? Talvez você goste de yoga e meditação e queira um quarto branco porque sabe que ele tem um efeito relaxante.

Mais sobre a psicologia das cores em Marketing e Branding

Talvez a área em que a psicologia das cores seja mais aplicada seja em marketing. É comum acreditar que as decisões que tomamos ao comprar são baseadas em uma análise racional, mas, em muitas ocasiões, nossas emoções são as que decidem por nós.

Desde há algum tempo. e no que diz respeito à tomada de decisão, até mesmo a neurociência moderna tinha se concentrado apenas nos aspectos cognitivos do cérebro, esquecendo as emoções.

E como chegamos ao coração do cliente? Bem, através dos sentidos, basicamente graças a audição e visão. É por isso que, quando você entra em uma loja de moda, ela toca música enérgica e você pode apreciar uma decoração e uma colorida que diz: “compre, compre, compre”. Segundo a Color Marketing Group , empresa especializada no uso de cores, quase 85% das razões pelas quais uma pessoa escolhe um produto em detrimento de outro tem a ver com a percepção da cor.

A psicologia das cores também é aplicada em branding. Você sabia que o vermelho estimula o apetite? Bem, isso é verdade, de acordo com diferentes investigações. Portanto, não é de admirar que cadeias de fast-food bem conhecidas, como a McDonald’s, a Pizza Hut e a KFC usem essa cor em seus logotipos e instalações.

 

O simbolismo das cores e como elas afetam a mente humana

O simbolismo das cores é um território certamente ambíguo e que, às vezes, não é completamente aceito no campo científico. Como já foi dito, a cor tem muitas leituras, dependendo do contexto em questão. No entanto, em seguida, identificaremos as cores mais importantes, com seus significados mais ou menos aceitos (pelo menos no Ocidente).

Branco – Psicologia das Cores

Nas culturas ocidentais (e também em algumas culturas orientais, como a hindu), a cor branca representa o puro e o inocente, assim como a pureza, a paz e a virtude. Nas culturas oriental e africana é a cor da morte: a alma pura que vai embora.

Amarelo – Psicologia das Cores

Amarelo representa luz e ouro. Geralmente está relacionado à felicidade, riqueza, poder, abundância, força e ação. No entanto, os pesquisadores consideram uma das cores mais ambíguas, porque também representa inveja, raiva e traição. A presença excessiva de amarelo intenso pode irritar uma pessoa, já que geralmente estamos acostumados a vê-la em superfícies relativamente pequenas.

Vermelho – Psicologia das Cores

O vermelho está associado à estimulação, paixão, força, revolução, virilidade e perigo. Provavelmente, isso tem muito a ver com o fato de que o vermelho é a cor do sangue, que também associamos a uma certa noção de vitalidade, agressividade e sensações extremas. É uma das cores com maior consenso entre os especialistas e, de fato, o uso dessa cor nos leva a nos comportar de maneira um pouco mais assertiva e extrovertida.

Laranja – Psicologia das Cores

Laranja está associada ao entusiasmo e ação. Também pode estar relacionado à luxúria e sensualidade, ao divino e à exaltação. No mundo do marketing político, costuma-se dizer que a laranja é a cor mais otimista de todas, pelo menos nas sociedades ocidentais.

Azul  – Psicologia das Cores

Azul é a cor do céu e da água e representa tranquilidade, frescor e inteligência . No mundo do marketing, ele é usado em muitos logotipos, como o Facebook ou o Twitter. É uma cor elegante e corporativa, uma das mais utilizadas pelas empresas. Transmite confiança e pureza.

Verde – Psicologia das Cores

Verde representa juventude, esperança e nova vida, mas também representa ação e ecologia. Decoradores de interiores concordam que uma sala pintada de verde suave incentiva o relaxamento e o bem-estar.

Roxo – Psicologia das Cores

O roxo é altamente valorizado no mundo do marketing, pois representa sofisticação e elegância . Além disso, essa cor costuma estar associada ao mistério, à nostalgia e à espiritualidade. É uma cor amplamente usada em produtos antienvelhecimento, precisamente por causa daquele toque de glamour que ela emite.

Tem sido relacionado à homossexualidade e adotado pelo feminismo. Reflete nostalgia, fantasia, banalidade, ambição, vaidade, inconsistência, etc. Como podemos ver, é uma cor com vários significados ambíguos que podem ter muito potencial se quisermos usá-la criativamente.

Rosa – Psicologia das Cores

Rosa é uma cor com atributos bem definidos:  é a cor da doçura, delicadeza, amizade e amor puro. Nossa herança cultural também a associa ao feminino.

Cinza – Psicologia das Cores

O cinza tem conotações um pouco diferentes, dependendo da cultura. Enquanto algumas pessoas percebem essa cor como indeterminação ou mediocridade, especialistas em psicologia da cor dão a ela um significado diferente:  paz, tenacidade e tranquilidade.

Preto – Psicologia das Cores

O preto tem conotações negativas porque está associado à morte, ao mal ou à destruição. Em contraste, no antigo Egito, representava fertilidade e crescimento. Devido à sua relação com a escuridão, o preto simboliza o mistério e o desconhecido. No mundo da moda, o preto é a cor da elegância, formalidade e sobriedade.

Marrom – Psicologia das Cores

A cor marrom representa a preguiça, a preguiça, a sujeira, a vulgaridade ou a fealdade. Pode parecer sem graça e desatualizado. Além disso, expressões como “comer um marrom” não nos ajudam mais. Marrom é uma das cores menos apreciadas.

No entanto, é também a cor da madeira e outono, nos lembra de casas resistentes, quentes e agradáveis. Também é encontrado em alimentos como chocolate e ter um tom de pele bronzeada é altamente valorizado no presente. O castanho é uma cor que tem uma grande presença à nossa volta e desperta múltiplas associações.

10 fatos interessantes sobre Psicologia das Cores

1) As pessoas que vestem vermelho, podem parecer até 3 vezes mais atraentes, chamando a atenção de muitos olhares.

2) Para chamar a atenção para as crianças e estimular o apetite nelas, use a cor laranja na hora de comer, em utensílios como pratos, colheres e copos.

3) O amarelo é uma das cores mais usadas para estimular o apetite, as grandes empresas fast foods a usam, porque além de abrir o apetite, muito desta cor provoca fadiga em pessoas, levando-os a sair e desocupar o lugar para novos clientes.

4) Se você fez algo errado e foi pego, será bom usar marrom, então você vai causar piedade, compaixão ou misericórdia para com você.

 

5) Vestir-se de preto pode fazer você parecer magro, elegante e muito sofisticado.

6) Se o espaço onde você mora é algo pequeno, aplique a cor branca é a escolha apropriada para dar uma sensação de espaço e profundidade ao seu ambiente não muito amplo.

7) Quando algo nos chama a atenção, usamos 92% do sentido da visão, 6% do sentido do tato e 2% do sentido auditivo.

8) As 3 cores preferidas pela maioria dos homens são azul, verde e preto. Os três preferidos para a maioria das mulheres são azul, roxo e verde.

9) A cor azul é a mais utilizada pelas marcas mais importantes do mundo. A cor do logotipo do Facebook é azul, porque seu criador, Mark Zuckerberg, sofre de daltonismo e a cor azul é a que melhor distingue.

10) Para chamar a atenção e criar uma chamada para ação no seu site, as cores mais indicadas são vermelho e verde. Um experimento em um site detectou que um botão vermelho é 21% mais clicado que um botão verde.

 

Relação entre cores e personalidade

A psicologia das cores é um campo relativamente recente de estudo, sua pesquisa visa descobrir as implicações de cada chave em nossa mente e seus processos mentais correspondentes. Embora não exista ciência certa sobre este campo de estudo, recentemente tem havido teorias que afirmam a existência de um efeito psicológico das cores em nossa tomada de decisão e na personalidade de cada indivíduo.

Este campo de estudo está sendo utilizado em diversas áreas, como marketing, publicidade, organização de eventos e, recentemente, no estudo da personalidade humana.

Descobrir os detalhes da nossa maneira de ver o mundo, de se comportar e sentir emoções sempre foi um dos grandes enigmas dos seres humanos. Ao longo dos anos e os avanços nos estudos com foco na personalidade, eles têm aparecido várias ferramentas destinadas a ajudar-nos a compreender os nossos padrões de comportamento e sentimentos de suas próprias técnicas projetivas da psicanálise para ferramentas estatísticas.

A relação entre cores e personalidade pode ser entendida da seguinte maneira: cada cor ou matiz produz um efeito ou uma sensação em nossa mente. Portanto, uma preferência por uma determinada tonalidade se comportará como um tipo de personalidade com tendências a experimentar certas emoções.

Vamos dar um exemplo: uma pessoa que prefere a cor vermelha, provavelmente tem uma tendência a ser mais apaixonada e agressiva. Isso ocorre porque a mesma cor produz um efeito de ativação e excitação neuronal em nosso cérebro.

É importante comentar que o modo como as cores afetam nosso humor é modulado por nossas experiências e educação. Se aprendemos desde cedo a associar uma cor a uma certa sensação, é muito provável que acabemos sentindo algo semelhante quando vemos a mesma tonalidade em nossa vida.

O significado das cores em diferentes culturas

Investigou-se se a classificação das cores é natural ou definida pela sociedade. Após análises realizadas em diferentes culturas, é possível afirmar que existem tendências comuns em todas elas ao categorizar as cores. Acredita-se que existem seis cores principais em torno das quais o resto é agrupado. Há consenso nas centrais, mas variações são encontradas quando se pedem as outras.

Quanto aos significados, em nossa sociedade é desaprovado aparecer com cores berrantes em um funeral, nós preferimos outros escuros como o preto. Em contraste, na Ásia, o luto está ligado ao branco. Essa cor é mais adequada à sua ideia sobre reencarnação. No entanto, há muitos anos, na Europa, essa cor era usada por mulheres, cobertas com enormes panos brancos.

Psicologia das Cores
Psicologia das Cores

De fato, dentro de nossa própria cultura, os significados das cores não são imutáveis. Você sabia que você começou a vestir as meninas de rosa e as crianças de azul por volta de 1920? Nos últimos anos, esse costume tem sido muito criticado. Ao longo do tempo, estamos redefinindo o significado das cores e criando novas convenções que podem um dia ser esquecidas ou variar de acordo com a moda.

Os significados da cor variam de pessoa para pessoa. Podemos percebê-los de uma maneira ou de outra dependendo das modas, do nosso estado emocional ou da fase da vida pela qual estamos passando. Por exemplo, a preferência pela cor preta diminui à medida que a idade aumenta (sem contar as crianças pequenas), pois está adquirindo conotações negativas.

Nem todos vemos cores iguais. Não podemos esquecer o daltônico ou as pessoas que discriminam até mesmo a menor variação entre dois tons praticamente iguais. Existem até pessoas com sinestesia, que são capazes de ouvi-las. No entanto, isso não implica que a psicologia da cor seja tremendamente subjetiva e mutável. Se analisarmos o contexto corretamente, será muito útil.

 

Dicas úteis para usar a psicologia das cores

– Contexto é fundamental para interpretar e escolher cores

Se sabe a importância das variáveis ​​culturais e as circunstâncias de cada situação ao escolher uma cor. Vendo um candidato para um cargo de advogado com um terno verde fluorescente para assistir a uma entrevista poderia ser ilógico. No entanto, podemos sempre tentar inovar e experimentar combinações de cores extravagantes e ousadas.

– A chave é saber combinar bem as cores

Podemos ter que enviar uma carta ou desenhar um cartaz e levamos em conta todos os elementos da psicologia da cor. Mas há mais aspectos a serem considerados, como o efeito que duas cores podem ter juntas. Por exemplo, marrom acompanhado de ouro, amarelo e laranja representa o outono. No entanto, se o marrom aparece ao lado de cinza e preto, torna-se um código conservador e pouco expressivo.

– As cores também precisam ser funcionais

Quem não pensou em se vestir de branco em todos os lugares possíveis que podem atacar uma nova camisa? Há cores mais resistentes à sujeira, outras mais adequadas ao calor, algumas são perfeitas se quisermos passar despercebidas, etc.

Por exemplo, se quisermos fazer um pôster ou enviar uma carta, temos que verificar se a cor em que escrevemos é legível sobre a cor de fundo. Por mais que gostemos de escrever em rosa claro em branco, preto em amarelo é infinitamente mais distinto. Na verdade, esta é a combinação que mais se destaca.

– Use as cores para melhorar sua memória

Se você quer preparar um exame e não sabe como se lembrar de todas as etapas de uma determinada lista chata, tente relacionar cada ponto com uma cor. As regras mnemônicas promovem nosso aprendizado. Além disso, se você tiver que fazer uma apresentação, também poderá melhorar a memória do seu público dessa maneira. Use a psicologia da cor para destacar a coisa mais importante que você tem a dizer e associe cada cor ao seu significado.

– Seja consistente

Se você tem um negócio ou está pensando em começar, pense cuidadosamente sobre o que deseja transmitir. Quando tiver terminado essa análise, avalie o que sua marca precisa fazer para alcançá-la. É essencial que todos os elementos da sua empresa sejam congruentes entre eles. A ajuda de um designer profissional que tenha esses aspectos em mente pode ser essencial para resgatar um negócio ou lançá-lo com sucesso.

Leave a comment