O que é amortização - Marcas e Patentes BH
(31) 3292-7257 (31) 3292-7257 (31) 9 8862 0363
OLa
h555 O que é amortização
IT

O que é amortização

O que é amortização

Os três fatores mais relevantes para um processo de amortização são:

1) O montante do empréstimo ou dívida

2) A taxa de juros

3) O prazo estabelecido para pagar a dívida.

Uma vez que os três elementos estão inter-relacionados, ao contemplar um empréstimo, deve-se levar em conta que, quanto maior o prazo de pagamento, mais juros ele pagará por sua dívida. No entanto, quanto maior o período de reembolso, menor a taxa periódica que deve ser assumida.

Assim, o prazo será determinado em grande parte pela quantidade de dinheiro que você está disposto a gastar em sua dívida a cada mês. Além disso, é necessário considerar que os prazos de pagamento variam de acordo com a taxa de juros: transações com taxa fixa tendem a ter prazos de pagamento mais curtos do que as taxas de juros variáveis.

Considerando os três fatores mencionados acima, as amortizações podem ser classificadas em:

Amortização de parcela constante ou método francês: é a forma mais frequente de pagamento de empréstimos. Nela, a mesma taxa é sempre paga. O dinheiro é distribuído por períodos entre juros e capital amortizado. Ou seja, embora a taxa seja sempre a mesma, os juros são calculados sobre o valor pendente a ser amortizado; assim, a parte de sua subscrição que vai para juros é reduzida proporcionalmente à amortização de capital, uma vez que a amortização de capital pendente será menor. O resultado desse sistema é que, durante a primeira fase, o pagamento é direcionado principalmente para juros, mas como estão pagando parcelas, a parte delas que corresponde a aumentos de capital amortizados, o que leva a uma diminuição gradual de juros. os interesses.

Esse tipo de amortização é mais conveniente para pessoas com renda fixa, uma vez que, embora o cancelamento do capital seja significativo a partir do meio do plano, ele garante uma cota constante durante todo o prazo do empréstimo.

Amortização de aumento de cota ou método americano: Nesta classe de amortização, a cota aumenta com o passar do tempo. Os primeiros pagamentos são pequenos, o que é vantajoso para os devedores que esperam um aumento no seu rendimento, no entanto, como consequência lógica, os últimos pagamentos serão consideravelmente mais elevados.

O tipo de amortização “americana” pode beneficiar aqueles que precisam pagar parcelas baixas durante um certo período de tempo (porque têm uma dívida anterior perto de serem liquidadas, por exemplo) e podem, posteriormente, fazer pagamentos maiores.

Amortização da parcela em declínio ou método alemão: este tipo de reembolso do empréstimo é contrário ao americano. Seu uso não é frequente apesar de ter a vantagem de pagar menos juros totais. Com este método, o valor amortizado da dívida é sempre o mesmo, de modo que o passivo diminui de forma acelerada mês a mês e com ele, o interesse que é gerado.

Este sistema de depreciação alemão é recomendado para pessoas com rendimentos e despesas variáveis que em um dado momento tenham a possibilidade de fazer cancelamentos antecipados, uma vez que as taxas estão diminuindo (capital fixo + juros no balanço).

Como usar a amortização a seu favor?

A escolha de um tipo de amortização adaptada às necessidades individuais de cada um ajuda a gerenciar melhor os recursos e otimizar o pagamento das dívidas. É importante avaliar as possibilidades e consultar um consultor financeiro para ajudar a decidir que tipo de reembolso é mais conveniente para você.

O tipo mais conveniente de depreciação dependerá de cada caso particular. O interessado deve avaliar sua renda passada, atual e esperada. As entidades financeiras sugerem que as parcelas mensais não ultrapassem 40% do lucro líquido do cliente, pois, de outra forma, o pagamento pode ficar comprometido.

Além disso, como em todos os planos para o futuro, para planejar o tipo de reembolso mais conveniente considerar o propósito da sua dívida (se é para comprar uma casa que vai durar por muitos anos, um carro, tecnologia ou outros).

Amortização de um bem

Em nosso escritório ou local de trabalho, há muitos objetos que tornam a vida muito mais fácil no nosso dia a dia: computadores, impressoras, telefones celulares, mesas, cadeiras, carros, vans etc.

Todos eles compartilham algo em comum: eles pertencem ao ativo imobilizado de nossa empresa e, portanto, são amortizados.

Sim, mas … o que é um imobilizado?

Em termos contábeis, um ativo pertence aos ativos de nossa empresa. É um bem que temos e que, com o passar do tempo e do uso, será estragado ou obsoleto.

O tempo que esse ativo (imobilizado) permanece conosco é geralmente o que chamamos de vida útil do bem.

Um ativo fixo pode ser material, como uma tabela ou um computador, mas também pode ser intangível ou intangível, como uma licença de software ou até mesmo uma atribuição administrativa.

O tempo considerado como a vida útil dos ativos, será o tempo durante o qual amortizamos o ativo.

Amortizar significa registrar uma despesa periodicamente (mensalmente ou anualmente) em nossas contas, de acordo com o tempo que está passando em que temos ou usamos o bem.

Ou seja, quando adquirimos um bem, registramos em nossa contabilidade como uma entrada para um ativo, um ativo, mas não como uma despesa. Isso imobilizado, se tornará gastos com o passar do tempo, o que realmente seria quando esse bem estivesse acabando.

Pontos a ter em conta para calcular a amortização de um bem

Preço de aquisição: Atribuiremos nossos ativos fixos ao valor do preço de aquisição. Algo a ter em mente é que o preço de compra será sempre para o valor do ‘imposto base’ da fatura. Se fizéssemos isso por último, alteraríamos seu valor.

Vida útil: Tempo que o bem estará trabalhando dia a dia a plena capacidade. Esse elemento é importante porque entrará no cálculo da depreciação. Para saber a vida útil que você deve aplicar aos seus ativos, você pode consultar as tabelas de amortização oficiais. Essas tabelas são publicadas na página da agência fiscal.

Depreciação Contábil: Existem muitas maneiras de calcular a depreciação (constante, números de dígitos, porcentagens, etc.), mas o mais comum e simples é geralmente o cálculo linear. Basicamente, para obter essa amortização, teríamos que fazer o seguinte cálculo:

Amortização = Preço de compra / Vida útil (anos ou meses)

É esse valor que registraremos como despesa.

Amortização cumulativa: Aqui, o montante que decidimos amortizar acumular-se-á em cada período. Este resultado é aquele que reflete, em termos contábeis, a amortização total que realizamos de um ativo fixo até o momento. Essas informações serão refletidas em uma conta de saldo.

Valor contábil: é o valor que, em determinado momento, sua pessoa imobilizada possui. Se, por exemplo, eu quiser vender meu laptop e precisar saber a que preço eu deveria vendê-lo para evitar perdas, calcularei seu valor contábil.

Leave a comment